Sai do meio!

Maio 24, 2010

Se Confúncio fosse vivo e andasse nos tempos de hoje e apregoasse as suas teorias pelas ruas certamente iríamos correr atrás dele para mandá-lo calar-se imediatamente.

Como diz o Confúncio…

“No meio está a virtude”?

Isso já não faz sentido!?

Se Confúncio fosse vivo explicar-lhe íamos a importância de sair do meio. De saltar fora da zona de conforto e de se apostar na diferença como modo de competir e sobressair num mundo onde cada vez as empresas são mais e o dinheiro menos.

Bem a propósito, se Confúncio fosse vivo e o apanhasse na rua mostrava-lhe o último livro que andei a ler.

CAÇA AO TESOURO – DENTRO DA MENTE DO NOVO CONSUMIDOR

Este livro fala de como o consumidor contemporâneo da classe média mudou os seus padrões de consumo nas últimas décadas 

Com o segmento de mercado intermédio a diminuir em todos os sectores na ordem dos 20%, o autor, John Butman, aponta claramente para a importância do posicionamento nos extremos em termos de produto. O que quer isto dizer?

 A classe média já não quer gastar dinheiro em produtos da gama média: ou prefere pagar muito mais, ou muito menos – ao que o autor chama trading up e trading down – uma estratégia para sair da monotonia dos orçamentos constantes, endividados e limitados.

Ora isto é uma isto é uma indicação importantíssima para as empresas e potenciais empreendedores no posicionamento em termos de produtos. No segmento alto os produtos devem ser experiência única, com uma forte componente emocional – e é extremamente importante entender essa emoção – no segmento baixo os produtos servem pela sua utilidade e pelo preço – mas é preciso uma procura exaustiva por baixar sempre mais o preço e aumentar ao máximo a qualidade. O esforço torna-se bastante maior que o de uma estratégia de meio, mas a recompensa, segundo ao autor, também o é.

 O diálogo com os clientes é fundamental: entenda o que estes procuram na sua organização e como a vêm. Para além de todos os estudos de mercado, fale, veja como estes gerem o seu orçamente o pense como os pode ajudar.

Se o Confúncio fosse vivo e o tivesse encontrado no meio da rua acredito que por esta altura já o teria convertido à teoria, 

E lá continuaria ele, mas desta vez a apregoar:

“Nos extremos está a virtude!”

Lígia Fernades

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: