A viagem da Publicidade ao longo dos tempos

Maio 3, 2012

A publicidade de uma época reflecte os valores de sociedade naquela época, as esperanças e os medos, o que as pessoas aspiram e o que procuram evitar. Mas mais do que disso pode dizer-nos muito sobre como as atitudes em relação ao sexo, idade, raça e atitudes sociais como qualquer relato histórico.

 

A Origem da publicidade

Desde do início dos tempos que o homem nunca esteve livre da publicidade. Mesmo na vida selvagem podemos evidenciar o seguinte: os animais promovem-se através da manifestação do seu tamanho e das suas proezas. Antes da palavra escrita, os primeiros anúncios eram pregoados pelos vendedores ambulantes.

Em 4000 AC, no Antigo Egipto começaram a aparecer anúncios impressos em papiro ou pintados em paredes. Os romanos começaram a utilizar cartazes para promover os circos e os famosos jogos de gladiadores e na Idade Média era comum avisos e anúncios da corte.

Anúncios sempre foram de primordial importância, desde do início de sua história, quando chegou a informar os consumidores sobre os novos produtos.

Vamos tomar um Café!

O café é um exemplo muito interessante. O café foi fabricado pela primeira vez como uma bebida no Médio Oriente, no século XV. Os árabes mantiveram a existência dessa mistura vivificante numa espécie de segredo, e recusavam-se a exportar grãos (ou oferecer instruções sobre como moer e preparar-los). Diz a lenda que “Sufi Baba Budan” contrabandeou sete grãos para a Índia em 1570 e plantou-los. Café depois se espalhou para a Itália, e em toda a Europa, servido no cafés. A rápida disseminação do café tanto como uma bebida e um padrão de comportamento (cafés se tornaram lugares de reuniões sociais) é em grande parte devido à propagação dos benefícios do café em jornais em 1657. (Fonte: www.webbooks.com/Classics/ON/B0/B701/15MB701.html)

À medida que o século avançava, a publicidade se tornou mais importante na sociedade, os jornais eram recheados com anúncios, havia publicações que consistiam inteiramente de anúncios, e os cartazes estavam por toda parte.
Curiosamente, por volta do ano 1700, Londres foi tão sobrecarregado com painéis publicitários de grande escala que o rei teve de aprovar leis que imponham limites à sua dimensão e posicionamento.

 

Publicidade na sua juventude

Publicidade como uma arte realmente começou a se desenvolver no século XIX, coincidindo com a importância gradual das marcas, como por exemplo a famosa Coca-cola e a Fiat. Pela primeira vez, as técnicas de linguagem, layout e de mistura de imagens /palavras foram usadas como são hoje.

No final de 1800, como a fabricação cresceu e a sociedade de consumo brotou, e logo a publicidade tornou-se uma parte essencial do negócio, reconhecendo de que devia ser deixado para especialistas na área. Foi durante este período que muitos dos grandes nomes da publicidade hoje foram fundadas.

No início do século XX, os governos também começaram a usar o poder da publicidade e especialistas qualificados agitado propaganda utilizando técnicas de manipulação psicológica para lisonjear, assustar ou confundir o público-alvo em conformidade.


Publicidade chega a sua fase Adulta  

Após a Primeira Guerra Mundial a publicidade continuou a desenvolver-se de forma orgânica e continua. Anunciantes foram utilizando rapidamente teorias, tais como medos subconscientes e o desejo de pertencer, a partir da ciência emergente da psicologia, a fim de atingir seus objetivos. Tão rapidamente como outros novos meios de comunicação, como a rádio e o cinema.

Na verdade, as ‘novelas’  que em Inglês se chamam “Soap Operas” têm este nome devido a serem inicialmente patrocinadas por fabricantes de sabão (Soap producers) que impulsionaram com uma versão inicial de colocação de produtos com anúncios frequentes para seus produtos.

 

Devido ao aumento dos custos de produção, programação com um único patrocinador começou a desaparecer na década de 1960 e foi substituído pelo intervalo comercial onde as empresas compartilham airtime com outros anunciantes.

 

Era digital da Publicidade

Apesar de os meios tradicionais, como por exemplo os jornais, a televisão e os outdoors que continuam a constituir o grosso dos gastos com publicidade numa campanha, a publicidade digital está cada vez mais importante na decisão de orçamento. Os anunciantes estão a procurar, cada vez mais, novos fenómenos como a publicidade viral, marketing digital, publicidade contextual, e mais importante ainda, publicidade nas famosas redes sociais como por exemplo Google Ad words e Facebook Ad words.

Presentemente, os consumidores são confrontados com um inacabável número de choques publicitários. Na verdade, calcula-se que cada consumidor norte-americano seja sujeito diariamente a cerca de 3 mil mensagens publicitárias (explícitas e implícitas). Racionalmente, nem todas são relevantes para os consumidores até porque, à medida que se aumenta o número de impactos publicitários, mais criterioso se torna o procedimento de selecção dos mesmos. Estas são algumas das conclusões de um relatório – Reaching the unreachable consumer: Advertising in the digital Age – apresentado pela Parks Associates.

 

Referências:

http://publicidadedigital.blogspot.pt/2007/12/publicidade-na-era-digital.html

http://en.wikipedia.org/wiki/Advertising

http://www.themarketer.co.uk/login/?ReturnUrl=%2farticles%2fprofessional-development%2fspeed-reads%2fadvertising-next%2f

http://lbug.co.uk/history.html

Mariana Simões

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: