Podemos repudiar o talento?

Setembro 9, 2010

Tenho andado a falar de talentos nas mais diversas formas, mas sempre tendo como objecto as habilidades próprias (claro de cada um) aliadas à vontade e à tenacidade de conseguir obter objectivos empresariais e pessoais.

Eu penso que, todos nós temos os nossos talentos, uns que se adequam à empresa, que são compreendidos e incentivados na empresa, mas todos nós temos pelo menos um talento reconhecido, ou em fase de reconhecimento. Assim surgem pelo menos as seguintes dúvidas:

  • Sabes qual é o teu talento?
  • Não sabes qual é o teu talento, mas o teu “chefe”, “namorada”, “pai” ou “mãe” reconheceu algum?
  • E se tens muitos talentos mas nenhum é de interesse para a empresa? Vais-te despedir para poderes aplicar o teu talento em quem o possa potenciar? Ou será que a empresa pode utilizar esse talento e potenciar esse incorporando-o num produto da empresa?

Porque a grande questão é simplesmente esta. Quem tem o direito de repudiar o talento de cada um?

Manuel Nascimento